O que Você Precisa Saber Sobre Preço de Venda para Lucrar com Doces

RECEBA NOVOS CONTEÚDOS DE MARKETING PARA CONFEITARIA
Entre para a lista VIP e receba lições e estratégias de Marketing e Vendas para crescer sua confeitaria direto no seu e-mail!

Como colocar preço em doces?

Essa é talvez a pergunta mais comum de quem está começando.

Mesmo de quem já está a algum tempo no mercado e nunca pensou sobre isso.

Então, você sabe colocar o preço certo nos seus doces?

Antes de me responder, acho justo alinharmos o que significa “preço certo“.

O preço certo para seus doces é o preço de venda que irá te permitir pagar os seus custos fixos(todos aqueles que temos que pagar mesmo sem produzir).

Da mesma forma, temos que levar em conta os custos variáveis (aqueles que aumentam conforme sua produção, os ingredientes entram aqui).

Ah, e não podemos esquecer do seu salário, ou pró-labore, né?

Por isso junto ao “preço certo” temos que pensar também na quantidade mínima que precisamos vender para pagar tudo isso, ou seja, qual o seu ponto de equilíbrio financeiro.

Bom, agora que estamos alinhados, se pergunte:

  • Será que seus doces estão muito caros, ou muito baratos?
  • Você sabe qual o lucro líquido e margem de contribuição cada receita te traz?
  • Será que você está explorando o potencial máximo de valor do seu produto?

Essas são as dúvidas que eu mais recebo e são muito comuns entre as confeiteiras iniciantes (e algumas mais experientes também).

Elas acabam tendo dificuldades de definir um preço correto e deixam essa tarefa pra depois ou então acabam fazendo igual à concorrência.

Afinal… Se eles cobram isso, deve dar lucro, não é?

Vamos falar um pouco mais sobre isso nesse artigo, então se esse assunto te interessa, você está no lugar certo!

O que NÃO fazer ao colocar preços nos seus doces?

Vamos começar eliminando uma prática pouco eficaz e um tanto perigosa: Comparação de Preços.

A verdade é que muitas confeiteiras têm o hábito de comparar preços para definir o quanto vão cobrar pelos próprios doces.

Algo do tipo “Fulaninha está cobrando R$x pelo seu brigadeiro, vou fazer igual ou mais barato”.

Isso não está totalmente errado, mas também não é o mais correto.

Por que?

Imagine que você começou a fazer bolos para vender.

E você NÃO fez uma pesquisa para saber quem é o seu público, então não faz ideia de quanto ele pagaria pelo seu bolo…

Aí você vai nos famosos grupos do Facebook, onde milhares de confeiteiras trocam ideias sobre seus negócios de doces e faz a seguinte pergunta:

“Pessoal, quanto vocês cobram em um naked cake de 2kg?”

Depois de pegar algumas respostas você coloca o seu preço por kilo mais ou menos igual ao que te disseram no grupo e começa a passar esse preço para seus clientes.

E é aí que mora o perigo, cara confeiteira!

☝ Primeiro: Você não olhou os SEUS próprios custos, que podem variar de cidade pra cidade, mercado pra mercado e de receita pra receita.

Se aqui em Porto Alegre o preço do leite está R$2.58, em São Paulo está R$3.25 segundo minhas fontes (e eu achava aqui caro…)

✌ Segundo: Você não considerou o valor da SUA mão de obra

A sua hora tem um custo e você precisa definir isso e adicionar esse custo na formação do seu preço.

Uma confeiteira que consegue definir o preço certo para seus doces consegue ter uma saúde financeira melhor e fazer mais vendas.

Sem contar que os seus clientes vão sair satisfeitos e você ainda pode ter mais lucro.

Então anota aí:

Encontrar o preço certo para o seu doce é um passo muito importante para o sucesso e a saúde financeira do seu negócio.

Antes de aprendermos a definir nosso preço, precisamos entender a diferença entre preço e valor.

Vamos lá!

Qual é a diferença entre preço e valor?

Vou colocar de uma maneira simples, pra grudar na sua cabeça e você nunca esquecer, de tão importante que esse conceito é:

Preço é o que você paga. Valor é o que você leva!

diferença de valor e preço de um produto

Deixa eu explicar:

Preço é simplesmente o número que vai na etiqueta, com valor monetário impresso ali, ou quanto uma pessoa vai desembolsar pra levar o produto.

Valor é algo que acontece na mente da pessoa.

Acontece quando você paga mais caro e sai achando que valeu a pena.

Agora pra acabar de vez com as dúvidas, uma comparação clássica:

Preço é pagar R$9 em um kg de café moído. Valor é pagar R$15 em 200ml na Starbucks.

Valor é algo realmente mágico para aumentar seu lucro, mas não vem de graça!

Então vale pensar:

  • Você vai conquistar seu público no preço ou no valor oferecido?
  • Qual é a experiência que você (e sua marca) vai proporcionar para seu cliente?
  • Como você vai proporcionar essa experiência?

Não tem problema se você escolher ganhar no preço, afinal isso também é uma estratégia válida (e muito usada por grandes marcas).

Mas tenha em mente que para isso você tem que reduzir ao máximo os seus custos e criar uma estratégia de vendas para aumentar muito as suas vendas se quiser ter lucro.

No ramo da confeitaria artesanal, eu prefiro trabalhar com valor, mas vamos falar mais sobre isso mais pra frente.

Se você escolher esse caminho, você já se perguntou quanto o seu produto vale para o seu cliente?

Agora que você sabe as diferenças de Valor e Preço, vamos calcular nosso preço.

3 passos simples para calcular o preço dos seus produtos de alimentação

Vamos colocar a mão na massa!

Philip Kotler (o pai do Marketing moderno) separa a definição de preços em 6 etapas, onde leva em consideração a demanda e a sensibilidade aos preços dos vários mercados existentes.

Mas para calcular o preço de doces podemos simplificar e separar em 3 passos simples, que te mostro abaixo:

Passo 1. Analisar o seu mercado

Você tem que conhecer muito bem o seu mercado e ter conhecimento (o mínimo que seja) de como seus concorrentes atuam.

Isso porque em um ramo que já existe a algum tempo o público alvo tende a já ter um preço médio do produto já estabelecido em suas mentes e com certeza vão comparar você com seu concorrente.

Por isso, faça essa análise:

  • Quem são seus concorrentes diretos?
  • E os indiretos?
  • O que eles oferecem e quanto cobram?
  • Por que eles cobram isso?
  • Quem são os fornecedores deles?

Concorrentes podem ser qualquer estabelecimento que dispute o dinheiro e a atenção do seu cliente.

Afinal, a maioria de nós, meros mortais, temos dinheiro limitado e precisamos escolher com o que vamos gastar.

A questão é: Em quem o seu público vai confiar o seu suado dinheirinho? E por que?

Lá no site do Sebrae tem um artigo bem interessante sobre como identificar seus concorrentes.

Passo 2. Descobrir seus custos e despesas

defina seus custos na hora de colocar preço em doces

Insumos, luz, gás, água, aluguel, manutenção dos equipamentos da cozinha, impostos e… tempo!

Se você produz doces, não adianta ignorar, você com certeza tem esses custos.

A questão chave é: Você sabe exatamente quanto gasta para produzir cada um dos seus doces?

Se não sabe, é hora de descobrir.

O primeiro passo então é listar suas despesas fixas e variáveis que você tem na sua produção, em um caderno ou planilha.

Assim você consegue visualizar o valor que você precisa cobrir com as suas vendas.

Só depois de pagar essas contas é que você começa a ter lucro.

Passo 3. Escolher um método de precificação e… Aplicar!

Depois que você entendeu seu mercado e levantou os custos, você tem que escolher um método de precificação.

Existem vários, mas selecionei as principais para te ajudar a escolher a melhor opção para você.

Método 1 – Markup

Esse é o método mais “básico” segundo Kotler, já que é muito mais fácil estimar os custos do que a demanda de um produto.

O objetivo dele é encontrar um preço que cubra todas as despesas e ofereça o lucro desejado.

Então você tem que analisar todos os custos e só depois de identificar corretamente todos eles, adicionar o markup desejado em cima desse custo.

Preço de Venda = Custo + Markup

Por exemplo, se você gasta R$2,00 para produzir uma unidade de brownie e pretende ter um lucro de 30%, o markup vai adicionar esse valor aos seus custos.

Exemplo:

30% de R$2,00 = R$0,60

Preço de Venda = R$2,00 + R$0,60

Mas não é apenas o custo variável que tem que ser coberto.

A venda de um doce precisa ter uma margem para te ajudar a pagar os custos fixos também.

Essa margem se chama margem de contribuição.

Basicamente se identifica quanto seus gastos fixos representam do faturamento médio. Esse valor também vai ser adicionado ao markup.

Isso vai resultar em um índice que vai ser multiplicado aos seus custos variáveis para você ter o preço de venda.

Dessa maneira, você garante que está cobrindo todos os custos inerentes à produção daquela unidade de brownie.

O problema dessa técnica é que quando o custo aumenta, você vai precisar aumentar seu preço se quiser manter o mesmo markup.

Ou então sacrificar sua margem para o consumidor não sentir a alteração.

Método 2 –Percepção de valor

Aqui entra o que eu te expliquei sobre a diferença de Valor X Preço.

Se você entender bem o conceito de cada um pode utilizar isso como vantagem competitiva.

No processo de compra, existe a mistura de emoção e razão.

O lado emocional geralmente fala mais alto durante as decisões de compra e é isso que temos que levar em conta aqui.

Pense em você como consumidor, você se preocupa com coisas como:

  • Marca
  • Qualidade
  • Atendimento
  • Experiência
  • Status

Então, porque não aplicar isso ao seu negócio também?

Transformar a venda de doces em uma experiência, explorando os detalhes que citei acima podem surpreender e fidelizar seus clientes, pois agregam mais valor ao seu produto.

Quando você gera essa conexão com o cliente entregando valor, ele fica menos suscetível a te trocar pelo concorrente que cobra menos e não entrega isso.

Para encontrar a o “preço-teto” que o cliente está disposto a pagar, você precisa pesquisar.

Converse com o seu público, entenda suas necessidade, seus sonhos, seus medos, quanto eles estariam dispostos a pagar por experiência x?

O segredo para colocar um preço que te dê lucro

Você, como empreendedora, trabalha com doces principalmente para ganhar dinheiro.

Claro, existe a parte de trazer felicidade para as pessoas, gerar experiências, etc e tal…

Mas não se engane, o objetivo primário é ter lucro.

Só assim você vai ter caixa e vai conseguir fazer o seu negócio crescer.

O mínimo que se espera é que o retorno do seu negócio seja maior do que o esforço e dinheiro investido.

O preço que você vai conseguir cobrar vai variar de mercado para mercado, afinal, alguns nichos são mais “raros” e “valiosos” que outros.

E algumas pessoas simplesmente pagariam mais para ter acesso a alguns produtos.

Ao precificar, tome muito cuidado:

Se você colocar muita margem, seu produto pode ficar caro demais para a percepção de valor do cliente, tendo que justificar esse preço e enfrentar resistência para vender.

Se colocar uma margem muito apertada você vai ter dificuldade de lucrar e gerar receita, já que vai ter que vender em grandes quantidades para chegar a um valor que cubra seus custos.

Quando colocar preço em doces, independente da estratégia escolhida tenha em mente qual é o valor que deverá cobrir todos os custos do produto e, obviamente, permitir que você tenha lucro.

Daniel Souza

Share on facebook
Compartilhe
Share on pinterest
Pinterest
Share on twitter
Twitter
Share on email
Envie por E-mail
Share on facebook
Compartilhe
Share on pinterest
Pinterest
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
Envie no WhatsApp

O que achou do artigo? Comente! :)

3 comentários em “O que Você Precisa Saber Sobre Preço de Venda para Lucrar com Doces”

  1. Maravilhoso tudo como sempre! obrigada por Abrir nossa visão! Continue sempre nos ajudando! Muitooooooo obrigado!!!👏👏👏👏👏👏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Faça como mais de 4.860 confeiteiras

Entre para a lista e receba gratuitamente lições de Marketing e Vendas direto no seu e-mail!